Uma das bandeiras do marxismo cultural é o multiculturalismo que vem sendo imposto, de maneira orquestrada e goela abaixo ao mundo ocidental. Quem se opõe é taxado de intolerante, xenófobo e politicamente incorreto.

t4

     Ironicamente a Alemanha, com a “tolerância”  e apoio da primeira ministra Ângela Merkel, sofreu uma das maiores transformações sociais da Europa com a inundação dos imigrantes islâmicos promovida por ela.Ironicamente, porque foi lá que surgiu a Escola de Frankfurt, inicialmente com o nome de Instituto Marx – Engels e depois mudado para Instituto de Pesquisas Sociais, porque o primeiro nome “dava muito na vista”. Os criadores daquele instituto o fundaram com o objetivo de estudar a civilização ocidental e destruí-la.

t5

     A segurança inexiste naquele país, onde seus habitantes autóctones, no caso de mulheres e crianças, não podem mais andar na rua depois que começa a escurecer para não serem estupradas, agredidas pelos imigrantes muçulmanos e mesmo de dia claro ninguém está seguro.

t3

     A mídia oficial, como parte da “orquestra”, acoberta todas as ações criminosas desses fanáticos e quando noticia alguma coisa é com distorções como: “Caminhão atropela e mata dezenas de pessoas”, “bomba explode em supermercado”, transformando coisas em agentes sem mencionar os verdadeiros autores dos atentados.

     Aqui nas Américas o principal alvo do marxismo cultural são os EUA. Com o surgimento da New Left, Saul Alynski, senão o principal, um dos principais articuladores desse movimento, tirou do papel as ideias de Antônio Gramsci pondo-as em prática e iniciando uma grande destruição na sociedade americana pela década de 1950.

t6

     Graças a técnicas modernas de engenharia social do gramscismo, ao apoio da mídia oficial e à ocupação de espaços em todos os sindicatos, sistema educacional, movimento editorial e das companhias cinematográficas de Hollywood,  pelos marxistas, o povo nunca se deu conta do que acontecia. Atribuía, como todo mundo, as mudanças percebidas como fatalidades decorrentes dos tempos modernos, exatamente como fora planejado por seus idealizadores.

     A islamização do ocidente é apenas mais uma etapa do marxismo cultural o qual já está em  andamento no mundo há mais de meio século. Com a derrubada de barreiras de imigração promovida por Obama, admirador e discípulo de Alynski, a população islâmica cresceu e já é aproximadamente 1% da população americana, mas é responsável por mais de 30% dos crimes cometidos naquele país. Essa é, sem dúvida, a maior ameaça que a civilização ocidental sofre atualmente e os globalistas se sentem cada vez mais confiantes no seu intento.

t7

     Medidas governamentais tomadas por Trump, visam combater o Estado Islâmico (EI) não só nos EUA, mas também fora deles. Para isso, além de ter assinado, nesse sábado, 28, uma Ordem Executiva (equivalente à nossa Medida Provisória) com instruções para o Pentágono apresentar estratégia para combater e derrotar o grupo terrorista EI em 30 dias, também costura aliança com a Rússia para combater o EI na Síria.

     Com as decisões de combate a esses fanáticos muçulmanos, a esquerda mundial, que já falava mal de Trump, agora ficou ainda mais furiosa em seus ataques ao presidente, o que já era de se esperar.

Paulo Mascarello