É fácil entender que em qualquer agrupamento a soma dos seus indivíduos adultos maduros e jovens, dos adolescentes e das crianças compõe a sua maioria absoluta e que o subconjunto dos indivíduos considerados velhos representam a menor participação percentual da população total.

     Para facilitar o entendimento, imaginemos que a cada ano o número de nascimentos seja igual ao número de nascimentos do ano anterior.  Consideremos a hipótese irreal de que todos os indivíduos durem 90 anos, por exemplo. Tentemos visualizar 90 colunas dispostas lado a lado representando, cada uma, o número de indivíduos nascidos no mesmo ano. Se admitirmos que a altura das colunas seja proporcional ao número de habitantes que cada uma representa, é fácil deduzir que todas elas terão a mesma altura, já que todas representam o mesmo número de indivíduos.

v8

     Se fizermos uma comparação entre o conjunto das últimas 30 colunas (representantes do número de todos indivíduos com 60 anos e acima) e o conjunto total de colunas, podemos concluir que o número desses indivíduos mais velhos representa um terço da população total do nosso exemplo.

     É óbvio que num exemplo real, teremos de levar em consideração os óbitos ocorridos a cada ano na população. Assim a coluna representante do número de indivíduos com 2 anos será um pouco menor do que a coluna representante dos indivíduos com 1 ano de idade. Podemos concluir que quanto maior a idade dos indivíduos que a coluna representa menor será a coluna, de maneira que as que representam os indivíduos de mais velhos serão necessariamente as menores. Pouco indivíduos passam dos 60 anos e quanto maior for a idade menor será o número deles. Segundo o IBGE, no último censo, apurou-se que apenas 8,6% da população brasileira têm 60 anos ou mais.

     Existir, produz experiência, a mãe da sabedoria. Embora as sociedades atuais valorizem e priorizam a juventude, ao ponto de alguns velhos se sentirem insultados pela simples menção da sua idade, basta observar que, com relação à sabedoria, três são as principais características da juventude: inexperiência; falta de discernimento e julgamento apressado.

v7

     Em que pese todos esses fatos, o contingente de eleitores, pelo nosso sistema eleitoral, é composto de jovens. Podemos concluir que a qualidade da maioria absoluta dos votos é a mesma da sua maioria de eleitores. Isso, por si só, já explicaria as sucessivas escolhas de maus indivíduos para os cargos públicos. Esses maus gestores públicos, por sua vez, tomarão decisões que sempre buscarão vantagens para si e para os seus apaniguados em detrimento do interesse púbico. Eis como Paulo Freire foi levado à condição de patrono da educação brasileira e o nefasto socioconstrutivismo destruiu completamente a educação brasileira e comprometeu a capacidade dos brasileiros aprenderem.

v5

     A conclusão a que se pode chegar é que maus políticos levam às escolhas e decisões contrárias ao bem da sociedade. Tais escolhas estupidificam os cidadãos. O contingente eleitoral piora na qualidade acarretando a escolha de piores políticos. É um círculo vicioso de aterrorizar. Para piorar a situação incluem-se analfabetos e jovens com idades a partir de 16 anos entre os eleitores.

v3

     Todo esse desarranjo não é falta de inteligência ou de competência dos que nos governam, mas um diabólico movimento revolucionário que tem por finalidade estabelecer um governo totalitário através do marxismo cultural com as técnicas da engenharia social as quais ensinam exatamente como implantar todas as estratégias maquiavélicas modificadas por Antônio Gramsci para fortalecer o partido que estiver no poder.

Paulo Mascarello